Emoções & Comportamentos

Como romper crenças limitantes?

Todos nós temos áreas que nos limitam, nos prendem e nos impedem de conquistar até mesmo, os sonhos de Deus para nossa vida. 

Primeiro, é importante entender o que é crença limitante. Embora a expressão possa lembrar algo no sentido religioso, não quer dizer nada neste sentido. Uma crença é algo que acreditamos que seja verdade, com toda a força do nosso ser, é tudo o que você acredita como uma verdade, quando ela pode ser apenas uma construção de ideias erradas que jogaram sobre você. Tudo o que você acredita é uma crença, e crenças limitantes bloqueiam sua capacidade de entrar em ação e gerar resultados positivos em sua vida. Acreditar que você não pode comer manga com leite por exemplo, pode ser uma crença que seus avós ou bisavós te passaram, mas ela não te limita em nada. Agora, acreditar que você não é capaz de fazer determinadas coisas, ou que nasceu para sofrer ou que nunca terá sucesso na vida, isso te limita, e muito.

Nossas crenças governam e determinam nossas ações, e muitas pessoas acreditam que são os fatores externos que controlam suas vidas. Na verdade, toda mudança pessoal tem início na crença/no pensamento.  

A maioria das nossas crenças foram formadas a partir das nossas experiências, do ambiente à que fomos expostos, e das ideias que nossos pais apresentaram como verdade para nós. Todos esses contatos com terceiros vão moldando os nossos modelos mentais, assim como as nossas próprias experiências.

Frases bobas como: “Não coloca a mão na boca depois de pegar no dinheiro, porque dinheiro é sujo”. Sim, a ideia da nossa mãe era nos proteger de bactérias, mas o cérebro entende de maneira literal as coisas, então, uma crença de que dinheiro é algo ruim e sujo é criado em nossa mente. Muitas pessoas tem dificuldade em ganhar dinheiro ou tem medo de forma inconsciente de ter muito dinheiro porque parece errado e sujo. Outras pessoas acreditam que não são capazes de executar determinada tarefa ou função porque seus pais diziam que ela era lerda, burra, tapada, desengonçada, esquisita…enfim.

Para romper com as crenças que te limitam e que te impedem de viver o melhor que Deus reservou para você nessa terra, o primeiro passo é identificar quais são essas crenças. Portanto, papel e caneta na mão, porque a melhor maneira de enxergar a verdade é dando vida à ela. É importante você entender que a crença é algo inconsciente, ou seja, não é tão fácil identifica-la. Por isso, você precisa orar muito para o Espírito Santo te ajudar a ver o que você não está vendo. 

Exemplo: Eu acredito que é difícil guardar dinheiro, por isso nunca consigo poupar. Tudo o que você acredita que é difícil, seu cérebro nem se esforça para tentar. Experimente trocar a palavra difícil por desafiador, e pense em algo que você poderia vender à parte para ganhar um dinheiro extra e esse valor você poupar, nem que for 50 reais por mês. Crie a cultura e a crença de investir o mínimo que seja para uma reserva.

Se pessoa acredita que não consegue perder peso, o inconsciente dela tem a função de continuar reforçando essa crença, então essa pessoa irá se comportar de maneira que contribua para que ela fique sempre acima do peso.  Se ela acredita que não consegue desenvolver um relacionamento saudável, estará sempre se machucando nos relacionamentos.

Por muitos anos acreditei que eu tinha problemas de relacionamentos e no fim, eu sempre me frustrava e me decepcionava com minhas amizades. Um dos problemas é que eu não me amava e não me aceitava, então colocava expectativa demais nas pessoas, e quando elas não correspondiam, eu me feria. E depois de vivenciar repetidas experiências como essas, eu passei a acreditar que não era boa em relacionamentos, e por algum tempo, me fechei totalmente para isso. Rompi essa crença recentemente, quando passei a acreditar que sou uma pessoa agradável e digna de ser amada em meus relacionamentos. Posso contribuir muito com minhas amizades, mas não preciso estar sempre disponível e dizer sim para tudo, ou querer resolver o problema de todo mundo ou carregar o mundo nas costas. Entender que sou responsável pelos meus sentimentos, mas não pelo das outras pessoas ajudou também. Não permitir que o pior do outro despertasse o pior em mim também foi um bom caminho.

Mas a principal chave foi me aceitar, me amar e me reconhecer como minha melhor amiga. Isso fez toda diferença para romper de vez essa crença que me limitava muito e me impedia de me conectar com algumas pessoas.

A segunda ação importante para romper com as crenças é encontrar a causa da crença limitante. E para essa ação, será necessário oração e reflexão. Deus te conhece muito mais do que você mesma se conhece. Ele tem acesso à todas as suas lembranças. Tente imaginar quais situações da sua vida as suas crenças foram desencadeadas. Geralmente as causas estão nas experiências passadas. Críticas, situações constrangedoras, experiências traumáticas, histórias contadas pelos nossos avós, qualquer tipo de ideia que nos foi imposta ou sugerida, pode ter se transformado em um ideia limitadora.

 Vou te dar 1 exemplo meu. Eu tinha uma crença que o dinheiro não era bom porque meu pai biológico era um homem muito rico, mas me rejeitou e deu dinheiro para minha mãe abortar. Por muitos anos, eu tinha medo de ganhar dinheiro, achava errado e me sentia mal de cobrar por coisas que vendia. Tive loja de roupa por algum tempo, e lembro que se eu pagava 100 reais numa camisa, eu a vendia por 120,00. O lucro não pagava nem minha ida à São Paulo. Eu tinha muita dificuldade me ganhar, então trabalhava de graça praticamente. Somente anos depois, descobri que meu medo de ganhar dinheiro estava na raiz do meu pai que tinha dado dinheiro para minha mãe abortar, e ela pagou o meu aborto, mas não deu certo. Quando tive esse entendimento, foi como se uma luz acendesse na minha mente. Em oração liberei perdão para o dinheiro por ele ter sido uma ferramenta que tentou destruir minha vida e fiz as pazes com o dinheiro.

O objetivo de encontrar a causa serve apenas para analisar situações em nossa vida em que formamos algumas “ideias confusas”, e não para justificar o nosso comportamento atual. Não queremos culpar o passado, queremos apenas estar conscientes do momento em que a crença foi instalada e, então, mudá-la.

Terceira ação para romper as crenças é você anotar seus objetivos de vida no mesmo papel das crenças. Faça perguntas a você como: “O que eu quero alcançar nesta situação? Qual é o meu objetivo específico? O que exatamente me impede de alcançar tal coisa? Muitas vezes nós pensamos não ser capazes de realizar algo, sem saber exatamente o que queremos. Estabeleça o que você quer e onde quer chegar.

Vou te dar meu exemplo novamente. Eu entendi que para cumprir a minha missão, eu teria que vencer a crença de que não sou boa comunicadora, que era tímida e tinha dificuldade com câmera. Precisei enfrentar meus medos e superar os obstáculos, executando a ação, mesmo com medo. Se eu desejava alcançar o maior número de pessoas através do meu testemunho e do conhecimento que vinha adquirindo, eu precisava parar de acreditar que eu não era boa nisso. Focar no objetivo e na missão que Deus me deu foi o caminho. O propósito deve sempre ser maior que as crenças e os medos. O seu porquê deve ser maior do que o como. Portanto, foque no seu objetivo e não na sua limitação.

A próxima ação deve ser substituir a crença limitante por uma crença fortalecedora, e para isso, nada melhor do que a Palavra de Deus. Nele estão as verdades absolutas. Ela diz que você é filha amada e escolhida, então por mais que te disseram ou te demonstraram o contrário, você deve quebrar suas crenças de não amada, não aceita, pela verdade da palavra de Deus.

Antes de tudo você deve querer mudar, pois nenhuma técnica, curso, conceito ou informação mudará pessoas. São elas mesmas que devem tomar a decisão de mudar e ter uma vida mais leve e próspera. A bíblia só terá efeito se você acreditar nela.

Há algumas técnicas que também ajudam. Você pode utilizar perguntas que te levam a duvidar das suas crenças limitantes. Ex: seu pensamento é: “Eu não consigo” Então, você deve pensar: “Quem disse que eu não consigo? Eu já tentei algumas vezes para saber como é a experiência?”

Outra técnica é simplesmente você enfrentar alguma situação mesmo com medo e mesmo que você não acredite ser capaz de fazer. Simplesmente segure nas mãos de Jesus, peça para Ele ir à sua frente e te ajudar a executar o que antes você acreditava não ser capaz de fazer.

Outra ferramenta importante para quebrar as crenças é mudar a sua forma de falar. Exemplo:

A pessoa fala: “Eu não consigo perder peso porque como tudo o que vejo pela frente.”

Se esse é seu caso, escreva num papel frases como essa: “Antigamente eu não conseguia perder peso, mas agora tenho uma estratégia correta para alcançar o meu objetivo.”

Deixe esse papel em um local onde possa enxergá-lo o tempo todo, para instalar e condicionar sua nova crença em seu inconsciente.

Muitas das nossas crenças comandam os nossos hábitos de maneira inconsciente. Passamos a funcionar ativados pela crença como que num piloto automático. Você precisa desligar esse botão e assumir sua vida e seus pensamentos. Para inserir um novo hábito, uma nova crença, um novo padrão comportamental, é necessário repetir a ação inúmeras vezes até seu cérebro registrar todas as informações como verdades.

Assim, como levou toda a sua infância ou algum tempo sendo influenciada por alguém, para estabelecer algumas crenças, leva-se algum tempo para desconstrui-las e reconstruí-las. Essa é a última dica que deixo à você, reforçar a nova crença.

Não se esqueça de sempre seguir os cinco passos que te passei quando se deparar com algum tipo de crença limitante:

Identifique quais crenças estão limitando você de seguir em frente; encontre a causa da crença; defina qual é o objetivos que deseja alcançar; substitua a crença antiga e negativa por uma nova e fortalecedora crença; condicione a nova crença até que se torne um hábito.

Faça os exercícios que te propus constantemente, e creio que você notará os benefícios  e as mudanças que eles trarão em sua vida.

Lembre-se: NÃO É O QUE AS PESSOAS FALAM SOBRE VOCÊ OU JÁ FALARAM PARA VOCÊ, É O QUE VOCÊ ACREDITA QUE MOVE SUA VIDA.

Por Roberta Sara

Achou o tema interessante? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram