Emoções & Comportamentos

Pilares para uma vida Plena

Primeiramente vamos entender o que significa a palavra Plena. Segundo o dicionário plena tem como definição: estado de alegria plena. Sem espaços; absolutamente completa; inteira. Que está cheia, repleta de alguma coisa; preenchida.

Observe a definição de cada palavra – vou repetir algumas delas: Sem espaços; absolutamente completa; inteira. Que está cheia, repleta de alguma coisa; preenchida.

Esse é o primeiro pilar que devemos anotar. Para se ter uma vida plena, primeiramente, precisamos ser PREENCHIDAS.

Algumas de nós mulheres não tivemos o privilégio de termos uma família saudável e funcional. Talvez seus pais tenham se separado quando você ainda era apenas uma menina indefesa. Talvez seu pai nunca tenha te assumido ou exercido a paternidade. Talvez seu pai tenha sido distante e omisso.

Talvez seu pai ou sua mãe nunca tenha se envolvido com seus sonhos, nunca tenham se interessado por suas conquistas e realizações. Talvez você tenha passado por perigos, abandonos, desprezos, negligências, abusos, manipulações, coerções… talvez você enfrentou a pobreza e a miséria.

Talvez você carregue muitas faltas em sua alma. Faltou a mãe, faltou o pai, faltou o amor, a presença, o carinho, o afeto, as palavras de encorajamento e afirmação, o reconhecimento, a validação, faltou o apoio, a proteção, o conforto, a segurança, faltou recursos financeiros, faltou saúde, e tempo para brincar e simplesmente ser criança. Talvez você teve que assumir ainda criança, responsabilidades que não eram suas.

Se dentro de você há muitas faltas, será necessário primeiramente preencher cada uma delas, para percorrer o caminho da plenitude.

Na minha história de vida, faltou tudo isso que descrevi anteriormente. E por mais que, pela graça de Deus, eu tivesse um marido e 2 lindas filhas na fase adulta, ainda não me sentia completa e satisfeita.

Mas o que poderia estar errado? Afinal, eu já conhecia a Deus e frequentava a igreja, além de ser uma dizimista fiel e ainda servir em vários ministérios durante toda minha vida cristã. Algo estava errado. Antes do início do meu processo de cura, eu não fazia ideia de que todos os traumas que eu havia vivido no passado pudesse ter influência no presente. Pouco se falava de vida emocional na igreja naquele tempo. Hoje, temos o privilégio de ter grupos como esses, canais no Youtube com tantas pessoas levantadas por Deus para falar desse assunto à luz da bíblia.

Quando eu entendi que apenas ir à igreja era totalmente diferente de caminhar verdadeiramente ao lado de Deus, conhecendo seu caráter, paternidade e amor, tive que ajustar minha vida. Eu precisava ser preenchida em cada falta por esse único, exclusivo e intenso amor que só existe em Deus, e na plenitude de quem Ele é. Ele é completo. Ele se basta. Ele é tudo. Deus é pleno, e somente Ele pode nos fazer plenas!

Então, fui em busca dessa plenitude. A primeira ação prática dentro desse pilar de preencher nossa alma com Deus, é colocá-lo sobre todas as coisas em nossa vida.

Em Marcos 12:30, Jesus nos ensina que o 1º e mais importante mandamento é:

“Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças’.”

Muitas de nós conhecemos de cor esse versículo, mas quantas de nós vive de fato na essência esse amor e essa entrega a Deus. Eu conhecia esse versículo, mas não obedecia a esse princípio.

Amar a Deus sobre todas as coisas vai muito além de sermos evangélica, ou frequentarmos uma igreja, ou até mesmo servirmos em algum ministério.

Amar a Deus sobre todas as coisas nos fala de buscarmos Ele mais que tudo. De acordar e o primeiro pensamento ser para Ele. De perguntar para Ele a respeito de tudo em nossa vida. De não tomar nenhuma decisão, não comprar nada, não resolver nada com ninguém, sem antes falar com Ele, pedir sabedoria, discernimento e ajuda para sermos assertivas em nossos relacionamentos. Querer agradar a Deus sobre todas as coisas. Não fugir das frustrações da vida comprando coisas para cobrir a dor da alma.

Muitas mulheres são exageradamente consumistas, compram coisas que nem podem, se endividam para tentar preencher um espaço que só Deus pode preencher. Ouvi uma vez a seguinte frase: você tem um vazio que é do exato tamanho de Deus. Nada e ninguém pode preencher.

Tentamos preencher com trabalho, com amizades, com casamento, com filhos, com profissão, realização, estudo, negócios, sonhos, projetos, dinheiro…  tudo isso é bom e faz parte da vida. E Deus quer que tenhamos tudo isso, mas colocar nossa alegria e atrelar nossa felicidade nessas coisas, é um grande erro.

Desejo que a partir de hoje, seu primeiro pensamento pela manhã seja chamando o nome de Jesus. Seja um pensamento de louvor, de adoração, de gratidão e de expressão do seu amor por Ele.

Deus nos ama, e estamos cansadas de ouvir isso nos congresso, nas redes sociais, nas igrejas, nos livros, na bíblia, nas canções, nas apresentações de dança e teatro em eventos.. mas e nós? Nós declaramos que o amamos. Nós demonstramos que o amamos.

Em João 4:23, está escrito:

“Jesus respondeu-lhe: “Se alguém me ama, obedecerá à minha Palavra; e meu Pai o amará, e nós viremos até ele e faremos nele nosso lar.”

Ainda em João 4, Jesus diz: “A minha comida é fazer a vontade de meu Pai, daquele que me enviou.”

Demonstramos que amamos a Deus quando o obedecemos. E obedecer aos princípios de Deus está muito além de apenas cumprir regras religiosas, como: não beber, não fumar, não falar palavrão. Quantas de nós, não respeita e nem honra o esposo. Quantas de nós, grita com os filhos e é dura demais sem nem os ouvir antes.

Quantas de nós temos orgulho e não nos arrependemos de nossas falhas. Temos dificuldade de pedir perdão e de perdoar. Falamos mal umas das outras, invejamos, cobiçamos e desejamos vingança. Ou fingimos de amiga para ganhar algo em troca. Bajulamos para ser aceita. São muitos os comportamentos disfuncionais que prejudicam nosso relacionamento com Deus, conosco mesmas e com as pessoas à nossa volta.

Já passou da hora de nos render verdadeiramente à Deus. É chegada a hora de entrar para o lugar secreto e ali ficar até perceber Deus. É chegada a hora de parar de apenas ter o discurso correto, mas ter as ações corretas. É chegada a hora de se humilhar diante de Deus e clamar por cura.

Mas para alcançar essa cura, você terá uma longa e árdua jornada pela frente. Mas, a graça de Deus é que não precisaremos passar por isso sozinhas. Não! Jesus está segurando em nossas mãos, e se permitirmos, Ele nos conduzirá com excelência.

Foi o que fiz um dia. Me rendi e permiti o Grande oleiro me moldar. Doeu cada um desses processos. Descrevo em detalhes todos eles no meu livro Desconstruindo o meu eu, mas posso dizer que valeu a pena!

Outro pilar importante que eu acredito que contribui para termos uma vida plena, é AJUDAR O PRÓXIMO.

Marcos 12:31, traz mais um ensinamento de Jesus à respeito dos principais mandamentos.

“O segundo é este: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. Não existe mandamento maior do que estes”.

Em dias de esfriamento espiritual, a primeira coisa que esfria também é o amor ao próximo.

Guarde essa regra: Quanto mais perto Deus você está, mais Ele te empurra para o próximo.

À medida que me aproximei de Deus, Ele me sarou para me usar como instrumento para sarar outras vidas para a glória Dele.

Deus é amor, e toda sua essência é amor. Amor que aceita, que perdoa, que acolhe, que não julga, não condene, mas ajuda a levantar, a consertar, a melhorar.

Assim que escrevi meu 1º livro em 2013, o Saradas para Sarar, onde conto meu testemunho em detalhes, entendi que minha história serviria de encorajamento para muitas mulheres superarem as mesmas dores que superei. Além disso, trabalhei por mais de 5 anos, atendendo mulheres na minha casa, aconselhando na área emocional e espiritual. Quantas mulheres foram curadas e libertas para a glória de Deus. E quanto mais eu ajudava as pessoas, mais eu era curada, mais eu me sentia plena e realizada.

Todas as pessoas de muito sucesso, compartilham da mesma máxima: doar ao próximo traz crescimento para si mesmo. Tudo o que você semeia ao outro, volta para você.

Sim, fazer o bem trará resultados positivos para a sua mente e para o seu bem-estar. Não é só uma questão moral ou filosófica, e isso foi comprovado cientificamente.

Um estudo do Dr. Martin Seligman, com o sugestivo título de “Filantropia versus Diversão”, mostrou que fazer o bem nos deixa mais feliz. O ponto de análise foi um experimento em que o professor dividiu seus alunos de psicologia em dois grupos. O primeiro deveria praticar atividades prazerosas, como assistir a um filme. O segundo deveria se engajar em ações filantrópicas, e um dos exemplos foi o de servir refeições para pessoas carentes.

Quando as emoções e sensações experimentadas pelos dois grupos foram avaliadas, constatou-se que os estudantes engajados em ações filantrópicas tiveram um aumento de bem-estar muito mais duradouro do que os demais. Ou seja, um trabalho voluntário pode ser uma ferramenta poderosa para gerar mais felicidade, diversão e até credibilidade (social e profissional) para a sua vida.

Somos mais felizes quando contribuímos positivamente com outras pessoas do que quando buscamos exclusivamente a gratificação pessoal. Em resumo: você encontra o seu “melhor eu” quando sai um pouco de si mesmo e se volta para os outros.

A palavra de Deus nos confirma isso em Provérbios 11:17

“Quem faz o bem aos outros, a si mesmo o faz […]”

Agora que você já sabe o quanto ajudar o próximo impacta sua sua, lembre-se de colocar em prática. Tiago 4:17 diz:

Portanto, pensem nisto: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz comete pecado.”

E o último pilar que eu gostaria de falar com vocês, está na segunda parte do versículo que já lemos de Marcos 12:31

 ‘Ame o seu próximo COMO A SI MESMO. Perceba que Jesus coloca amar ao próximo na mesma balança que amarmos a nós mesmas.

Muitas de nós são ótimas em fazer tudo para todo mundo, mas as piores vilãs para si mesmas. Não nos amamos, não nos aceitamos, só nos criticamos, e nem cuidamos de nós mesmas. Eu sempre tive muita dificuldade em me amar e em fazer coisas que fossem boas para mim mesma.

Eu era muito cruel e exigente comigo mesma. Minha pior inimiga. Precisei trilhar um longo caminho de autoconhecimento e de autoaceitação para me amar de maneira saudável. Isso fez toda a diferença na minha vida.

Se você quiser conhecer mais sobre meus livros, são eles:

“Saradas para Sarar” – minha autobiografia completa. Onde descrevo desde meu nascimento até o início do meu processo de cura em detalhes.

“Desconstruindo o meu Eu” – um livro sobre mudança comportamental. Você vai entender a raiz de muitos comportamentos seus e como muda-los.

Tempo de crescimento” – um livro sobre processos e espera com exercícios práticos na área de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.

Ciclos Emocionais Viciantes”, um livro sobre gerenciamento emocional.

“Mais forte que a sua dor” – Como superar a dor da Rejeição e desenvolver uma autoestima saudável.

Desejo de coração que você construa esses pilares sobre sua vida e seja uma mulher plena e feliz para a glória de Deus!

Deus te abençoe!

Por Roberta Sara.

Achou o tema interessante? Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram